Seja bem-vindo(a), hoje é Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

Encontros do Outubro Rosa que fortalecem pacientes no início do diagnóstico

 

Priscila Fiamini, minha história com o câncer está só começando.

Fazem menos de 5 meses que Priscila Fiamini, professora, 40 anos, foi diagnosticada com câncer de mama. Ela tem dois filhos, um de 8 e outro de 11, anos e quando soube foi como perder o chão. “Depois desse primeiro momento em que um buraco se abre, temos que ir à luta. Não dá pra parar e ficar pensando muito tempo, a vida segue”, disse.

Ela passou por dois tipos de quimioterapia. Restam ainda 9 sessões para concluir esse ciclo. Depois vai passar por cirurgia e radioterapia. “Minha história com o câncer está só começando. Quando participamos de eventos como este isso nos ajuda muito, porque vemos como outras pessoas que já passaram pelo tratamento estão aqui e bem. É a certeza que temos de que tudo passa, pois vemos muitas coisas negativas sobre a doença, o diagnóstico como uma sentença de morte e aqui nesses momentos não pensamos em nada de ruim, vemos a vida após o diagnóstico e após o tratamento. Conversar com pessoas é o que nos ajuda”, conclui Priscila.

Ela foi uma das participantes da Campanha do IBCC “O Câncer de Mama no Avo da Moda”. Este ano o hospital preparou um momento de beleza, com produção de maquiagem, cabelos, limpeza de pele e sobrancelhas. O IBCC acredita que a estrela dessa campanha é você que luta por esta causa e para comemorar os 23 anos de campanha contou com a participação de 23 mulheres especiais. São ações que enfatizam a importância da autoestima durante o tratamento do câncer e que permitem à essas mulheres uma troca de conhecimentos, experiências de vida e oportunidade para fortalecer a luta contra a doença, que tem estimativa de mais de 58 mil novos casos por ano. 

 

Momentos de Priscila na sessão de fotos para a Campanha.

 

 

© 2018 Instituto Brasileiro de Controle do Câncer